29 outubro, 2013

300h em slowfood (dia 16)

by Richard Jolley


Um guindaste para me tirar da cama! 
Preparamos tartins, crujientes e no almoço... não teve clientes. Preparamos coulant (nome dado ao que conhecemos como petit gateau em grande parte da europa) e 3 mangas pasteleras (aqueles plásticos utilizados por confeiteiros) arrebentaram e foi chocolate por todo o chão! É a vez do gazpacho e a thermomix pára e vomita-o por todo o balcão... Energia ruim? Nammm! Dia de andar pisando em ovos pois a cozinha virou uma pista de patinação no gelo. Ao sair, quando soube da quantidade de reservas para a noite, tomei a pílula power para a coluna antes do serviço. 

Hoje temos reforço na cozinha! Os veranistas dispensados antes do tempo foram chamados para nos ajudar. Nenhum erro ocorreu, apenas alguns pequenos atrasos (pela quantidade) e sobrou até para o Rapaz da pia trabalhar na preparação dos pratos. O serviço acabou tarde (o restaurante não estipula hora para acabar... é até o último cliente). E claro, com aquela pia mal projetada (o único defeito que encontrei na cozinha) o Rapaz da pia que nos ajudou durante a noite, estava lotado de serviço.

Presenciei a primeira falta de solidariedade dos europeus com os africanos (o Rapaz da pia é africano). Ele ouviu piadinhas sobre o volume da pia, mas ninguém o ajudava. Ele até dava pano para os outros e dizia: "seca, ajuda!"  E ouvia "não estou aqui pra isso". E nem ele estava ali para ajudar na preparação de pratos... Sai as 2h da madrugada (quando minha coluna já não aguentava mais ajudá-lo naquela pia) e ele ainda tinha serviço... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário