20 outubro, 2013

300h em slowfood (dia 4 à dia 7)

fonte: www.deviantart.com

Domingo o serviço é cansativo e extenso, pois é aquele dia onde todos saem para almoçar e jantar mais tarde... e nos deixar com menos horas de descanso. 

Apesar de ter uma placa indicativa SLOW FOOD, e os dizeres no menu: preparado ao momento; alguns clientes tinham a pachorra de reclamar do tempo em que eram servidos. E os garçons sempre nos contavam o que acontecia por lá. "Isso aqui não é a coca-cola" gritava o Cozinheiro. "O risoto leva 20min para ficar pronto, o coulant 12min. Explique outra vez se o surdo não entendeu!" E assim criou-se o jargão na cozinha acompanhado sempre do tempo de cocção de cada prato. 

A partir da segunda-feira alguns funcionários começaram a faltar. Ops, não a faltar, era o dia de descanso deles fui descobrir depois. "E porque eu não tinha dia de descanso", pensava com meus botões. Eu realmente não entendi aquilo. Mas foram dias difíceis quando na terça folgava uma assistente e o lava-pratos. E nos dividiamos entre preparo, cozinhar e lavar-louça. E foi nesse dia que tirei o chapéu para o Cozinheiro. No final do dia, já depois das 24h, estava eu e o outro Assistente nos matando para lavar aquela pilha de pratos. E chega o cozinheiro e poe ordem no nosso falido esquema, e em menos de 1 hora tinhamos toda a cozinha limpa. Sabe aquele momento em que você pára simplesmente vislumbrado com o que acaba de presenciar? Foi isso o que aconteceu comigo. Ele sabia fazer tudo dentro daquele espaço chamado cozinha! Ali nasceu o respeito por aquela pessoa que ainda brigava com meus cortes e ainda não confiava em me delegar tarefas importantes.

A quarta-feira era outro mundo, pois era a folga do Cozinheiro e vinha The Chef para a cozinha. O ritmo é outro, o sistema é outro, as cocções são outras. Me mandava cortar tudo! E ao invés de eu ouvir um corta ssim, compreende? Era um corta esses pimentões em juliana, já as abobrinhas em mirepoix, etc. A linguagem era outra. O ritmo era mais lento e quando podia, me explicava que incorporar verdulagas no risoto de verduras faz bem para a saúde. As explicações vinham assim, e disso eu gostava. Mas quarta-feira era dia de trabalho dobrado, pois The Chef deixava tudo como estava e saia da cozinha, sem dar tchau. 

Ps: alguns dias o cansaço era grande e as horas de descanso eram tão poucas que eu me esquecia de escrever...

Nenhum comentário:

Postar um comentário