26 junho, 2012

Purê de abóbora


Interessante como o número de pessoas que têm gastrite aumenta atualmente...
Todos já sabem que muitos dos problemas gastro-intestinais tem origem emocional, adquirida pelo stress. Essa forma de viver que muitos são adeptos nos centros urbanos deixam as pessoas doentes e ter horário de almoço apertado, pouca opção de alimentação (afinal, não pode se distanciar muito do trabalho) prejudica a saúde ainda mais. Podemos usar o exemplo desses pratos executivos que na maioria dos estabelecimentos, são pobres do ponto de vista nutricional: muitos dão a falsa impressão de saudável com uma carne grelhada, arroz branco, feijão que nem sabemos se foi cozido corretamente já que todo o seu preparo leva tempo, alface e tomate. Mas sem entrar no detalhe do que anda sendo oferecido por aí... afinal, existem produtos porque tem cliente (besta) que compra, se você anda sentindo uma dor tipo queimação no estômago, sensação de inchaço na barriga (e sabe que não é verme) e fome saciada rápido... é capaz que tenha uma gastrite. 

Uma das formas de adquirir gastrite é através da bactéria H. pylori, que ainda não chegaram ao um veredicto comum quanto a sua forma de contaminação, mas já está claro que em lugares com más condições de higiene, principalmente água contaminada, é uma das fontes. O perigo de comer na rua nesse Brasil todos já sabem, já que não temos infra-estrutura básica decente, e a maioria das cidades não possui um tratamento de esgoto (como essa cidade em que vivo hoje, João Pessoa - por esse mesmo motivo duvido que o tratamento da água seja melhor). Enfim...  se você tem que comer na rua, peça sem a menor vergonha para visitar a cozinha e qualquer desconfiança, simplesmente não coma, procure outro lugar. Mas sem querer assustar... seja perspicaz ainda mais se você já tiver problemas de saúde, pois muitos restaurantes que você entra, parecem limpinhos, mas tem funcionários que nunca estudaram sobre manipulação de alimentos e hábitos de higiene  que cometem cada falta grosseira... e seus patrões fazem vistas grossas pois exploram os mesmos (com salários baixos para justificar a falta de conhecimento dos funcionários). A maioria dos donos de restaurante ainda não entenderam o tamanho da responsabilidade deles numa sociedade... 

Mas o assunto aqui é a tal bactéria, que ao se alojar no estômago de uma pessoa que dá valor aos seus stress ou que comem muito na rua (ou os dois), encontra o lugar perfeito para entrar em ação. Ao desconfiar de sua presença em seu organismo, vá a um médico conferir sua situação e caso uma gastrite já faz parte do seu diagnóstico, abaixo estão transcritos cuidados básicos que você deve ter, principalmente em relação a alimentação, caso não queira ter problemas maiores no futuro bem ali:


  • seu estômago necessita descanso, por isso alimentos leves, incluindo legumes, hortaliças e frutas é essencial;
  • coma devagar, em lugares tranquilos e mais vezes por dia, pois é proibidíssimo deixar o bichinho vazio;
  • refeições pequenas ou moderadas (proibido extrapolar, nem que seja um pouquinho);
  • coma quando o alimento já estiver morno ou simplesmente frio, evite-os em temperaturas muito quente ou muito fria (leia mais aqui).


Alimentos que devem ser evitados durante o tratamento:


  • bebidas alcóolicas;
  • alimentos ácidos, como frutas cítricas (abacaxi, limão, laranja) e maneire o tomate (coma-o sem casca);
  • refrigerantes e sucos industrializados;
  • café (até o descafeinado), chá preto, chá mate;
  • chocolate;
  • pimentas (principalmente a vermelha);
  • doces concentrados;
  • frituras e qualquer preparação com gorduras;
  • embutidos;
  • leite e derivados em excesso (dizem que leite alivia a dor, mas evite, pois pode até aliviar no momento em que você toma, mas ele aumenta a acidez do estômago e consequentemente...);
  • molhos prontos, caldos prontos de legume, carne, frango, etc., sopas prontas e outros alimentos ricos em purina;
  • excesso de brócolis, couve-flor, pepino, rabanete, repolho


O resto está liberado! Se conhece bem os alimentos, sabe que não está tão ferrado assim. Lembre-se que, literalmente, o doente é seu estômago e quem precisa de cuidados é ele. Dê preferência aos alimentos integrais, hortaliças, legumes e carnes magras e frutas de sobremesas (desde que não seja cítrica). Na dúvida, estude mais aqui

Receita de purê de abóbora
Essa é uma ótima versão de purê rica em sabor e ingredientes que você pode comer a vontade. E quando for buscar mais opções, saiba de cor os alimentos que devem ser evitados e delicie-se com outras receitas ;)

400g de abóbora (descascadas e cortadas em cubo)
4 dentes de alho (mantenha a casca e corte a ponta mais grossa para facilitar depois)
azeite
alecrim fresco
sal a gosto

Numa assadeira espalhe a abóbora e regue com azeite o suficiente para lambuzar levemente os pedaço de abóbora (é pouco ;) 2 pitadas de sal são suficiente e misture bem. Coloque os dentes de alho e salpique as folhinhas de alecrim. Leve ao forno médio até a abóbora ficar macia. 
Tire do forno, separe o alho e coloque tudo numa tigela de vidro com fundo largo (ou num prato fundo). Tire a casca do alho e amasse tudo com um amassador de batata (ou um garfo) e amasse bem. Se precisar, dê a liga do purê com mais azeite (agora pode usar o extra-virgem) e acerte o sal.  Prontinho, assim o purê fica mais bonito - fica com aspecto rústico - muito mais saboroso e saudável ;)
Buen provecho!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário