23 dezembro, 2011

Maionese caseira

_ Minha linda! Quanto tempo! Como vai você? Eu preciso saber da sua vida...
_ ... peça alguém pra me contar sobre seu dia... vou bem e você?
_ Je vois! Je comprends!
_ Ui!
_ Quer o quê hoje?
_ Dose de compreensão com atitude!
_ Tá precisando?
_Sempre! Mas no caso não é para mim, é para uma amiga que eu quero muito que ela enxergue uma situação. 
_ Ninguém enxerga o que não quer. Por que quer forçá-la?
_ ... preocupação... Parece que as histórias sempre se repetem...
_ Enquanto não aprendemos com os erros e mudamos, elas se repetem. 
_ É. E quando você já passou por uma situação parecida, você não quer que seus queridos passem pelo mesmo. 
_ Mas aí você está querendo tirar o outro do problema dele. Se ela está nessa é porque ela quer. 
_Mas... 
_Mas nada! Por que a gente não analisa sua situação passada para você compreender?
_ Pronto! Tudo começa com a "paixonite", aquela idealização de achar que encontrou a pessoa da sua vida...
_ Como é que algo pode começar com o que deve ser percebido durante muuuuuito tempo?! Uma coisa é curtir o momento outra é ficar viajando.  E tu tinha quantos anos na época?
_19, 20. 
_ E ainda por cima imatura, eu não entendo. Enfim, sua amiga tem quantos anos?
_26.
_ Cada um com o seu tempo. Como foi esse "começo"?
_Tudo ótimo! O jogo da conquista, o carinho, os amassos, a admiração, até que...
_ Conta a parte boa!
_ Até que uma situação única acontece, bem no início da bifurcação. E sua atitude ou reação determina o caminho para o resto do relacionamento!
_Ah! Mas isso você percebeu agora! Me conte do exato momento em que você escolheu o dark side.
_ Resumindo: ele me apareceu em casa por causa de uma situação corriqueira, fazendo o maior drama. Aquela figura máscula virou uma coitadinha, dizendo o quanto sofria por eu não ser como ele pensou e blá, blá, blá. Me lembro exatamente que na hora meu coração disse: fudeu! corra! Mas eu preferi acreditar naquele argumento de síndrome de coitadinho e acreditei que quem estava errada era eu. 
_Ai... você nunca ouviu falar que a gente deve acreditar nas ações e nunca nas palavras? Principalmente de quem enfeita ou dramatiza demais?
_ Fui aprendendo isso depois. Ainda mais porque o coitadinho se mostrou extremamente egoísta, mandão, intolerante, ciumento. Sempre alternando estados de vítima e algoz.
_ Quem ainda não encontrou seu eixo se divide entre os extremos. 
_ É... mas o que nos leva a isso?
_ Tanta coisa... insegurança é uma delas. Porque ele fala que você só é protegida por ele. Só fala! Na verdade ele alimenta a sua fraqueza, argumentando que você precisa dele. Aí vale tudo! Dizer eu te amo depois de esculhambar sua obra prima, porque você chorou muito após o veredito dele. Aí ele pede desculpa, dizendo que ele é assim... e vocês se abraçam, falam umas besteiras, dá beijinho... afe! Muita encenação! 
_ É...
_ Já notou como ele era um "salvador" depois de fazer uma grande merda?
_ Já...
_ E que a única coisa que ele fez foi te acalentar por uma situação que ele causou? Que ele só se aproveitou de um momento frágil para vir com mais promessas carinhosas? Que com o passar do tempo as atitudes não mudaram, mas as promessas ficaram mais sofisticadas? Até casamento? óóó!!! E notou que em momento algum ele retirou a culpa do que fez? 
_ Retirou a culpa?
_ Sim, pedir desculpas é pedir p/ retirar a culpa do seu ato. Mas desde quando uma ação se resolve com palavras? Por exemplo: uma pessoa fazendo bagunça te empurrou e você caiu e machucou a cabeça batendo no chão. Ela pode só mencionar a palavra desculpa, o que não vale nada! Ou pode te ajudar a levantar, fazer um curativo e ainda lhe dar um remédio p/ dor de cabeça que surgiu. E ainda tomar cuidado na próxima vez para não machucar você ou outra pessoa. Capiche?
_ Capiche!
_Então... você acha que uma pessoa dessa sabe amar?
_ ...
_ Claro que não! Quem ama admira  a pessoa amada! Aceita, compreende, liberta! Sabe que aquela pessoa está com ela porque ambas tem motivos para se apaixonarem todos os dias! Sentem-se bem, juntos, no dia a dia! Confiam! Têm a capacidade de ser sincero o tempo todo, juntos! É fã até do jeito que o outro tira catota do nariz! Ou pelo menos ri muito disso.
_ [sorrindo]
_ Se você ou o outro ou ambos reclamam, sente-se mais presa do que liberta, fica preocupada se não está agradando, etc, etc, etc. Tenha certeza que não existe amor aí! Mas sair dessa só acontece quando a pessoa cria confiança em si mesmo e quer se libertar. 
_ É verdade! É tomar coragem de deixar esse vício de ficar sofrendo. 
_ Exato! E como você saiu dessa?
_ Fui percebendo, aos poucos, o valor da liberdade! E isso só precisava da minha confiança. Percebi também que quando tirei o poder dele sobre mim, ele se afastou. 
_ Ou seja, ele não amava você, ele amava a situação que você permitia acontecer. Alguém para satisfazer os joguinhos emocionais dele. 
_ Engraçado como é ruim perceber isso... você era só uma peça...
_ Engraçado não, é triste. Triste pensar que as pessoas ainda agem assim, com tanto terapeuta por aí... Sempre as mesmas histórias. Foi por quanto tempo?
_ Quase 3 anos. 
_ Puta que pariu! Haja vontade sofrer!
_ É... E o que faço a respeito dela?
_ Conhece energia, vibrações? Emane  para que ela se encontre! Se encontre antes que os limites sejam desrespeitados gravemente. Pegue seu exemplo de novo, você não só saiu da situação quando VOCÊ percebeu? Aposto que inúmeras pessoas te alertaram e você nem... preferiu continuar esmurrando a faca.
_ Mas vira e mexe lá vem ela reclamar...
_ Aí você manda ela calar a boca e sofrer com ele! E que ela pode contar com você quando ela quiser se libertar, que você tá aí para dar apoio. Ou faz um silêncio insuportável!
_ Assim? Na lata?
_ Assim, na lata! Vinho?
_Claro! Vamos celebrar que existem pessoas que querem ser felizes e libertas!


Liberte-se!






Maionese caseira
2 gemas de ovo
1 colher (chá) mostarda dijon (ou de qualidade)
250ml de óleo
1/2 limão
sal e pimenta a gosto


Numa tigela coloque as gemas e vá despejando o óleo em fio, e vá batendo sempre, com um fouet (aquele batedor manual). Não despeje o óleo de uma vez ou em grandes quantidades porque desanda. 
Quando ela começar a criar consistência, acrescente (aos poucos) a mostarda, mexa, o limão, mexa, e tempere. Mexa, mexa e mexa! Esse é o segredo!
Está pronto quando estiver homogêneo, consistente e não "pinga" do fouet
Ah, todos dizem e eu repito! O sabor é incomparável com as maioneses industrializadas. 
Muito importante! Deve ser mantida num frasco bem fechado, sempre na geladeira, por no máximo 3 dias! 


Falsa maionese caseira
Se você está preocupada com a gordura da maionese, pode tentar essa outra receita. O gosto, claro, não é o mesmo, mas dá aquela textura cremosa da maionese, se esse é o caso. 


1/2 pote de iogurte
1/2 caixinha de creme de leite
sal e pimenta a gosto
cebolinha picadinha a gosto


Misture bem o iogurte e o creme de leite, até ficar homogêneo. Depois é só temperar conforme seu gosto, mais forte, mais fraco...
Mesma coisa, deve ser mantida na geladeira. Se usar no dia seguinte, prove antes. Pois a lactose em contato com alguns ingredientes pode azedar. 

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário